Contatos

       (61) 3247-0660

       (61) 98301-2422

       iacv@iacv.med.br

       SGAS 614, Ed. Vitrium, Sala 11, L2 Sul, Asa Sul, Brasília DF . CEP 70.200-740

Horário de Funcionamento

Segunda à Sexta - 8h às 18h

Sábado e Domingo - fechado

©  2019 IACV . Todos os direitos reservados | Desenvolvido por RedeCMG

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone SoundCloud

Linfedema

O que é Linfedema?

O linfedema é definido como um edema (inchaço) crônico devido à deficiência da drenagem no sistema linfático com o acúmulo anormal de fluído rico em proteína abaixo da pele.

 

Quais os tipos de Linfedema?

Nos linfedemas primários há alteração congênita do desenvolvimento de vasos linfáticos e linfonodos ou obstrução de linfáticos de etiologia desconhecida (idiopáticos).

–Primário congênito: surge antes do 2°ano de vida, podendo ser um linfedema congênito simples ou estar associado a síndromes e malformações, como a doença de Milroy;

 

–Primário precoce: é a forma mais comum, aparecendo entre 2 e 35 anos, principalmente em mulheres, raramente associado a disfunções de outros órgãos;

 

–  Primário tardio: ocorrem após os 35 anos, principalmente em mulheres, sendo a forma mais benigna;

 

Nos linfedemas secundários, a disfunção anatômica ocorre em tecido linfático previamente normal, podendo ser causados por uma infinidade de doenças, como:

– Neoplasias, cirurgias e radioterapia;

 

– Infecciosa, como por bactérias que causam a erisipela; protozoário como o causador da filariose; fungos e vírus;

 

– Cirurgias;

 

– Traumas;

 

– Artrite reumatoide;

 

– Psoríase.

 

Quais os Sinais do Linfedema?

Observa-se o aumento do volume do membro, sendo geralmente indolor. No estágio inicial, o repouso noturno é suficiente para o retorno ao normal. Nos estágios seguintes, o repouso noturno já não é suficiente e posteriormente não há mais reversão, podendo haver incapacidade funcional e deformação do membro.

 

Quais os Principais Sintomas do Linfedema?

 

Em geral são sintomas discretos e pouco comuns:

  • Peso;

  • Cansaço;

  • Mal-estar;

  • Câimbras.

 

Como Acontece o Linfedema?

O linfedema se desenvolve a partir de um desequilíbrio entre a demanda linfática e a capacidade do sistema em drenar a linfa. O sistema linfático perde sua capacidade de escoamento por destruição ou obstrução da via linfática em algum ponto de seu trajeto, ocasionando estagnação da linfa no vaso, e posterior extravasamento de líquido ao interstício (tecidos adjacentes ao sistema linfático).

E a cronicidade do linfedema, com processo inflamatório continuo gera fibrose local, sendo responsável pela irreversibilidade do quadro.

 

Como é Feito o Diagnóstico de Linfedema?

É principalmente clínico, devendo-se excluir as principais causas de edema de membros inferiores, como causas cardíacas, renais e venosas. Naqueles em que há dúvida diagnóstica e em que se quer avaliar o prognóstico o exame diagnóstico de escolha é a linfocintilografia.  Esse exame é extremamente especifico na diferenciação entre edema de origem linfática e de outras causas de edema periférico.


Qual o Tratamento do Linfedema?

Baseia-se, principalmente, na Terapia Física Complexa  (TFC):

– Drenagem linfática manual

 

– Cuidados com a pele

 

– Uso de compressão, seja por faixas ou meias elásticas;

 

– Exercícios miolinfocinéticos;

 

E associado:

– Praticar atividade física;

– Manter o peso próximo ao ideal;

 

– Elevar o membro afetado por alguns períodos ao longo do dia;

 

– Uso de medicações prescritas pelo médico.

marqueiacv.png